10 de outubro, 2012

Madeira de Redescobrimento

As ondas viajam milhares de quilômetros pelo mar e no final quando morrem na praia são surfadas. Essas mesmas ondas trazem diferentes materiais que muitas vezes ficam boiando. Sempre gostei de pegar esses materiais e usá-los. Esta foi a matéria prima dos meus primeiros móveis e até hoje faço isso. Nos últimos anos, venho trabalhando também com madeiras de demolição. Acredito que São Paulo deve ser uma das cidades do planeta que mais gera material de demolição. Comecei pegando pedaços de madeira, peroba rosa, nas caçambas, fiz alguns testes e gostei muito. Pensei então em desenhar uma linha de móveis cujo processo causasse o menor impacto ambiental possível. A madeira já havia vencido seu ciclo e estava sendo reutilizada, sem abater novas árvores. Não usamos vernizes químicos, usamos pouquíssima lixas e cola. Queria tirar fora desse processo essa turma que degrada o meio ambiente. Além disso, queria que os cortes feitos dentro da oficina fossem muito simples, usando pouca máquina, porque gerar energia elétrica também causa impacto ambiental. Por fim, queria criar uma linha de móveis confortáveis, bem resolvidos tecnicamente e conseqüentemente muito longevos. Essas madeiras encontradas no mar, nos rios, ou derrubadas pelo vento ou mesmo de demolição hoje têm um nome técnico – madeira de redescobrimento.

Comentários

  1. gustavo dias disse:

    Muito bom Carlos !!
    Sou teu fã faz tempo e tenho um jeito de olhar o mundo de forma semelhante.

    http://www.woodesign.com.br

    também trabalho com redescobrimento, porém meu garimpo vem mais da zona rural do que dos mares…

    caso tenha um tempinho de uma olhada no meu trabalho.
    gostaria muito de conhece-lo pessoalmente qualquer hora.

    Seria possível visitar seu atelier ??!!!

    grande abraço e continue nos inspirando!
    Gustavo Dias

    http://www.woodesign.com.br

  2. Carlos Scheerer Pimentel disse:

    Olá Carlos Motta e toda a equipe!

    Muito inspirador esse trabalho! Ainda existe uma grande carencia de profissionais que realmente e sinceramente se interessam e dominam os conhecimentos técnicos pra reaproveitar madeira e a nao utilizacao dos vernizes, colas etc que geram residuos poluentes. Estou fazendo uma formacao de marcenaria em Berlin e espero poder conhecer o seu trabalho pessoalmente em breve. Outra coisa também é a carencia de livros técnicos brasileiros sobre o assunto. Ficaria grato em receber dicas de livros seja em espanhol, portugues, alemao ou ingles o que rolar eu to encarando! haha…Abracos em todos!

    perdoem a ortografia( teclado alemao).

  3. braulio roriz disse:

    grande trabalho. muito bom
    abraço

Deixe um comentário

* Campos obrigatórios